Mensagens

2ª. Mensagem da CEC / Janeiro de 2018 Deus, o caminho no deserto, Salmo 114

Mens_CEC2_jan_18-1.pdf (398 downloads) Mens_CEC2_jan_18-1.png (216 downloads)

A Bíblia relata em Êxodo 1.8, que se levantou sobre o Egito um novo rei, que não conhecia José. Esse rei viu o povo judeu crescer dentro de seu país e teve medo de ser subjugado por eles. Para barrar o crescimento usou de todas as astúcias possíveis para que não se multiplicassem, chegando a escravizar o povo de Israel. Essa escravidão fez o povo clamar ao Senhor, que os ouviu e providenciou um líder e a saída deles do Egito de forma milagrosa, a caminho da terra prometida. Dá para imaginar a felicidade daquele povo desfrutando da liberdade que não conheciam, entrando na terra que mana leite e mel, tendo suas próprias casas, seus próprios animais, plantando, colhendo… Conhecemos a história: para chegar a terra prometida atravessaram o mar a pé enxuto, murmuraram, beberam águas que antes eram amargas, foram sustentados no deserto de forma sobrenatural por 40 anos, venceram inimigos, mesmo sem preparo para isso. Deus os acompanhou, protegeu e proveu o necessário para cada um.

O que a história dos judeus nos ensina?

  1. Todos os que aceitam a Jesus como Salvador e Senhor de sua vida tem uma promessa (João 3.15,16; 6.40).
  2. Deus está conosco todos os momentos de nossa vida, cuidando, protegendo, provendo.
  3. Nossa caminhada não é tão fácil, mas não podemos cometer os erros que os judeus cometeram, murmurando contra Deus e contra seu líder (Nm 11.1-3).
  4. Ter atitudes que desagradam a Deus dificultam nossa caminhada (Números 13.22,23,29).
  5. Precisamos viver o sobrenatural de Deus. Até chegarmos à vida que Deus nos promete, vivemos ainda no deserto desse mundo, árido, insustentável, escaldante de dia e temerosamente frio à madrugada, às vezes sem alimento, sem água, sem vida, onde só é possível sobreviver se algo sobrenatural acontecer.
  6. Em momentos de dúvidas e desesperos alguns decidem regressar à escravidão do Egito, desprezando a libertação miraculosa do Senhor, os grandes feitos dEle, Sua santidade e cuidado. Esses nunca poderão desfrutar da nova terra, da Canaã celestial.
  7. Nosso foco não é, nunca foi e nunca será ter belas cabanas, firmar estacas e viver bem no deserto! O alvo é estar eternamente com o Senhor! Não devemos descansar até o momento em que formos chamados por Deus para habitar definitivamente com ele.

Temos uma missão e precisamos estar firmes em Deus para superar os inimigos que se apresentarão no caminho, sem cometermos o erro de murmurar, ou maximizar nossos inimigos, achando que os nossos problemas, provações, tentações e privações são insuperáveis ou que esses desafios são maiores que o próprio Deus. Podemos até nos ver, em algum momento, como gafanhotos insignificantes, mas temos conosco um Deus que não é pequeno, nem fraco, nem limitado, ele é o Todo Poderoso, que tem promessas a quem perseverar e vencer!

3 comentários

Deixe seu comentário