Mensagens

2ª. Mensagem da CEC/Julho de 2019 Sendo servo

Mens_CEC2_jul_19 (408 downloads) Mens_CEC2_jul_19 (270 downloads)
Jesus chamou seus discípulos e disse: “Vocês sabem que aqueles que são considerados governantes das nações as dominam, e as pessoas importantes exercem poder sobre elas. Não será assim entre vocês. Ao contrário, quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo; e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo de todos. Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mateus 23.11; Marcos 10.42-45).
O problema é que, por causa da mentalidade moderna, perdemos completamente o sentido da palavra “servo”e não conseguimos ver que fomos comprados, que não somos mais de nós mesmos, pois temos um Senhor e dono.Não somos empregados contratados para fazer uma obra, somos servos designados para cumprir uma ordem. Este é o princípio básico do Reino: o senhorio.

I.    Jesus Cristo foi um exemplo de servo.
1.     Ele desceu do céu, não para fazer a sua própria vontade, e sim a vontade daquele que o havia enviado” (João 6.38).
2.     Embora sendo Deus, não considerou que, ser igual a Deus, era algo a que devia se apegar; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens (Filipenses 2.5-7).
3.     Jesus ensina a tomar atitudes humildes: “Vocês entendem o que eu fiz? Vocês me chamam de Mestre e Senhor, e estão certos. É o que eu sou. Então, se eu, O Mestre e o Senhor, lavei os pés de vocês, lavem também os pés uns dos outros. O empregado não está acima do patrão; o empregado não dá ordens a seu empregador. Se vocês entendem o que estou dizendo, façam o que digo e vivam uma vida abençoada” (Jo 13.112-17).
a.     Quantos servos de Deus têm sido abençoados em seus empregos, lares, família,  igreja, como resultados de suas atitudes humildes.
b.     Jesus nos ensina que servos não são passivos. Jesus viu que nenhum de seus discípulos tomou a decisão de executar a limpeza de seus pés e dos pés dos discípulos. Ele fez o que tinha de ser feito: tirou sua veste de cima (manto), envolveu uma toalha de escravo em volta de sua cintura, colocou água numa bacia e passou a lavar os pés dos discípulos.
c.      Assim como Jesus, nós como servos devemos escolher nos humilhar e fazer  coisas que talvez os outros sejam orgulhosos demais para fazer.
4.     É natural que sirvamos aos nossos superiores, mas Jesus serviu aos seus subordinados. Quando servimos aos nossos irmãos, declaramos o quanto eles são importantes. Pode ser fácil servir àqueles que nos amam, mas Jesus lavou também os pés de Judas Iscariotes, mesmo sabendo que ele o trairia. Ele demonstrou amor, mansidão e misericórdia (Jo 13.1,2,3,11).

II.  Fazemos um serviço por inúmeras razões.Alguns fazem porque foram designados por outros, não estão aqui para servir, mas apenas para fazerem o serviço. Outros porque vão receber pagamento, ou viram a necessidade e resolveram cooperar, ou simplesmente porque querem fazer. Contrariamente a isso, o servir tem sempre uma única razão: a obediência.
·     Quem serve está se preparando para servir melhor, como orienta o apóstolo Paulo a Timóteo(2 Timóteo 2.15), e o apóstolo Pedro aos discípulos espalhados em vários lugares (1 Pedro 3.15).

Servir a Deus e a igreja é um grande privilégio. Por isso precisamos estar preparados para servir (Lucas 12.35).

Deixe seu comentário