Mensagens

3ª. Mensagem da CEC / Fevereiro de 2019 Um exemplo em servir, Josué 24.15b, 31

Mens_CEC3_fev_19 (416 downloads) Mens_CEC3_fev_19 (301 downloads)
Todos nós conhecemos o discurso de Josué ao povo de Israel, principalmente as palavras proferidas diante da escolha a quem servir: “eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Seu estilo de vida e liderança influenciou sua família e a nação de Israel, que permaneceu fiel ao Senhor, mesmo depois de sua morte (Josué 24.31).

Ele tinha características especiais que lhe permitiram ser exemplo para sua família e à nação de Israel:
1.  Ele sabia que não poderia levar uma família a servir a Deus, se não o servisse também. É um engano imaginar que não temos nenhuma influência sobre nossa família, que mesmo não estando envolvidos com Deus e Sua Obra, teremos uma família envolvida com Deus.
2.   Ele tinha comunhão e intimidade com Deus. Isso possibilitou-lhe ouvir a voz de Deus sobre as estratégias e problemas nas batalhas, assim como liderar o povo para as batalhas aparentemente impossíveis. Temos que compreender que apenas podemos conduzir as pessoas aos níveis espirituais que nós já vivenciamos (Josué 1.1-9; 3.7).
3.  Ele era discípulo e servo pessoal de Moisés. Não podemos ser um líder eficiente enquanto não nos tornarmos ensináveis e lideráveis (Josué 1.1).
a.  O período de proximidade e convivência com Moisés foi extremamente importante para a formação do seu caráter.
b.   Ele sabia como ser a segunda pessoa. Só pode ser a primeira pessoa quem sabe ser a segunda, terceira, quarta. Antes de liderar, ele serviu.
c.    Moisés estava sob a autoridade de Deus e Josué sob a autoridade de Moisés. Ele não era uma pessoa independente nem era sua própria autoridade. Josué sabia o quanto era importante estar sob cobertura espiritual. Pessoas que desejam ser verdadeiros líderes terão que ser verdadeiros discípulos.
4.  A missão não seria fácil, mas Josué não estaria sozinho. Deus lhe garantiu a sua presença pessoal e constante, dizendo: “estarei com você, nunca o deixarei, nunca o abandonarei”.
·      Alguém já disse que a presença de Deus é a melhor das bênçãos, porqueinclui todas as outras.
5.  Semelhante a Moisés, ele não iniciou uma nova visão, mas foi um continuador da VISÃO que Deus tinha dado ao seu povo (Dt 31.23).

Temos a responsabilidade de sermos a referência de homem ou mulher que serve a Deus. Nossa família precisa ver essa relação profunda de intimidade com Ele, para, a partir disso, serem movidas a servirem de igual modo e, como resultado, atingir aos outros próximos a nós.

1 comentário

Deixe seu comentário