Mensagens

3ª. Mensagem da CEC / novembro de 2018 Livre ou escravo? João 8.30-36

Mens_CEC3_nov_18 (332 downloads) Mens_CEC3_nov_18 (241 downloads)
A liberdade é uma das coisas mais buscadas pela humanidade. No passado, muitos deram suas vidas para serem libertados da tirania e da opressão. Mesmo tendo esse tipo de liberdade, o coração humano ainda anseia por liberdade, porque Deus o criou a fim de ser livre física e espiritualmente.

  1. O que é que aprisiona o homem?
  • a) O pecado (v. 34); b) A separação da única fonte verdadeira de liberdade (v. 35,36); c) Uma motivação completamente errada (v. 37).
  1. Para ser livre o homem deve admitir sua situação espiritual

Em João 8.31-36, o Senhor disse aos judeus que creram nEle apenas no intelecto que eles eram escravos do pecado, porém não aceitaram que estavam com problemas espirituais. Justificaram-se em sua descendência abraâmica.

  1. Jesus ensinou que não é suficiente consentir mentalmente com o que ele dizia. Se eles quisessem estabelecer um relacionamento real com Ele, teriam que aprender e começar a viver de acordo com seu ensinamento, tornando-se verdadeiramente seus discípulos.
  2. O homem deve decidir ser livre e buscar o libertador, Jesus (v. 36).
  3. A verdadeira liberdade é ser livre da escravidão do pecado, que só é possível através de Jesus Cristo.
  • Prisões além do pecado
  1. Cristo nos libertou do pecado, mas alguns continuam sendoescravos de relacionamentos, ressentimentos, prestígio, trabalho, ideias destrutivas e uma lista interminável de vícios.
  2. O meio de identificar o que escraviza é discernir o que predomina nos pensamentos e ações. Tudo o que influencia ou controla a maneira como a pessoa vive, a não ser o Senhor Jesus Cristo, torna-se mestre e impede o homem de tornar-se tudo para o qual foi criado e salvo.

O primeiro passo rumo à liberdade é reconhecer onde está preso, seja uma vida de pecado ou outro tipo de escravidão, e buscar a liberdade naquele que pode tornar verdadeiramente livre (João 8.36).

2 comentários

Deixe seu comentário