Mensagens

3ª. Mensagem da CEC / outubro de 2020 Uma igreja modelo  

Mens_CEC3_out_20_Pdf (276 downloads) Mens_CEC3_out_20-1_WhatsApp (190 downloads)
Encontramos em Atos 2.42-47 a vida incomum de uma comunidade cheia do Espírito Santo, que foi traduzida em ações concretas de aprendizagem, oração, temor, adoração, alegria, simpatia e crescimento.
O versículo 42 afirma que aqueles irmãos perseveravam. O verbo perseverar tem como significado: dedicar tempo, energia e esforço a um objetivo específico; continuar, manter, guardar e engajar-se com persistência. Ele transmite a ideia de uma ação contínua, em que há uma dedicação intensa de energia para cumprir um objetivo preestabelecido.

1.     Eles perseveravam no ensino. Os novos cristãos estavam dispostos a aprender, e os apóstolos estavam dispostos a ensinar, pois a missão era instruir aqueles que se tornassem seus seguidores (Mt 28.20a).
2.     Eles perseveravam na comunhão. Os cristãos de hoje tendem a ser individualistas e às vezes egoístas. Por outro lado, a igreja primitiva mostrava que a comunhão entre os irmãos era muito mais do que a busca pelo convívio harmonioso. Os cristãos de Jerusalém não se viam com uma mera sociedade; eles eram a igreja, o corpo de Cristo. Com tal, compartilhavam os bens da vida comum e envolviam-se nos projetos e atividades da igreja.
3.     Eles perseveravam no partir do pão. O partir do pão só poderia alcançar um maior significado numa igreja que sabia o que era viver em comunhão. Celebrar a ceia do Senhor sem ter verdadeira e íntima comunhão é zombar da obra realizada na cruz.
4.     Eles perseveravam nas orações. Suas orações geravam ações sobrenaturais de Deus. Eles criam que a oração movia montanhas. Se a oração move montanhas, por que tantas montanhas continuam a impedir a salvação da sua família ou dos seus +3, o crescimento da igreja na célula e na congregação, e o desenvolvimento do Brasil? Tudo indica que precisamos dedicar-nos à oração com a mesma perseverança da igreja primitiva. Talvez seja porque a oração esteja sendo praticada isoladamente, sem a dedicação às outras três atividades: o ensino, a comunhão e o partir do pão.
5.     Quando uma comunidade de cristãos for unida na prática contínua dessas atividades e essas práticas se tornarem evidentes para outros ao redor, ocorrerão prodígios e sinais que produzirão um efeito positivo no crescimento dessa comunidade e, consequentemente, da igreja a que pertence.

Você se encaixa neste modelo bíblico de vida de igreja ou apenas quando há interesse pessoal?

1 comentário

Deixe seu comentário