Mensagens

2a. Mensagem CEC / abril 2017 A Morte que gerou vida, João 19.30

Mens_CEC2_abr_17.pdf (652 downloads)

Mens_CEC2_abr_17.png (242 downloads)

A morte é um momento previsto para mim e para você. A cada dia que se passa, devido as enfermidades ou ao nosso estilo de vida, nos aproximamos desse encontro com ela, e não existe nada que possamos fazer para mudarmos essa situação.

Como definiríamos a morte?

  1. A morte física é a separação do corpo, da alma e do espírito. Esse fato passou a acontecer após o pecado de Adão e Eva, e estendeu-se para toda humanidade, que ficou sujeita à morte física (Tiago 2.26a; 2 Coríntios 5.8; Gênesis 3.19).
  2. Morte espiritual é a condição de todos que estão separados de Deus por causa dos seus pecados (Efésios1,5; Lucas 15.24,32; Gênesis 3.6).
  3. A “segunda morte” é a separação eterna de Deus, pelo juízo que acontecerá (Apocalipse6,14).
  4. É o final da existência do homem, que o coloca diante da eternidade com ou sem Deus.

A solução de Deus para nós

  1. Após o pecado de Adão e Eva, a promessa de solução para a vida espiritual e eterna do homem começa em Gênesis 3.15, que compreende: a redenção do homem da escravidão do pecado; a restauração da sua comunhão com Deus; e a segurança da vida eterna com o Senhor (Jo 5.24; 10.28,29; 6.37).
  2. Para o cumprimento da promessa de resgate do homem, Jesus teve de pagar um alto preço:
    • Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças. Foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados (Isaías 53.4,5).
    • Ele entrou, uma vez por todas, no Lugar Santíssimo, ele não levou consigo sangue de bodes ou de bezerros para oferecer como sacrifício. Pelo contrário, ele ofereceu o seu próprio sangue e conseguiu para nós a salvação eterna (Hb 9.12).

O próprio Cristo levou nossos pecados no seu corpo sobre a cruz, a fim de que morrêssemos para o pecado e vivêssemos uma vida correta (1 Pedro 2.24). Ele fez o que precisava ser feito pelo homem, mas para ter efeito, vai depender de cada um, em reconhecer sua situação espiritual, e decidir aceita-lo como Salvador e Senhor de sua vida.

1 comentário

  • Eliel Mota disse:

    Muito boa mensagem; nos a certeza absoluta de nossa Salvação, e leva o indivíduo a tomar uma decisão uma vez por todas! E nos traz uma definição exata da nossa condição espiritual! gostei muito! parabéns CEC.

Deixe seu comentário