Mensagens

BATALHÃO DE INTERCESSORES E GUERREIROS ESPIRITUAIS

 Sl 5.1-3;15.1-6; 24.1-6; 20.1-9; Js 1.1-18; Dt 1.1-9; 2 Co 10.1-6; Ef 5.3-21; 6.10-20

INTRODUÇÃO – “Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne(3). Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas(4); e toda altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo(5), e estando prontos para punir toda desobediência, uma vez completa a vossa submissão(6)” (2 C0 10.1-6). “Ningúem vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas, vem a íra de Deus sobre os filhos da desobediência” (Ef 5.3-21;6). “Quanto ao mais, meus irmãos, sede fortalecidos no Senhor, e na força do seu poder(10). Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo (11); porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestiais(13). Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir ao dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis(13)” (Ef6.10-20;10-13). Filhinhos, eu vos escrevo porque os vossos pecados são perdoados, por causa do seu nome(12). Pais, eu vos escrevo, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevo, porue tendes vencido o maligno(13). Filhinhos, eu vos escrevi, porque conheceis o pai. Pais, eu vos escrevi, porque porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanence em vós, e tendes vencido o maligno(14). Filhinhos, já é a última hora(1 Jo 2.12-14;18a). “Filhinhos, Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo:todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, nem aquele que nõ ama a seu irmão”(1 Jo 3.10). “Porque todo aquele que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé(5.5). “Filhinhos, não amemos de palavras nem de lingual, mas por obras e em verdade. Se alguém disser: amo a Deus, e odiar o seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê”(4.20). “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, aquele que é nascido de Deus Deus o guarda, e o maligno não lhe toda(18).Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no maligno(19). Também sabemos que o filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eternal. Filhinhos, guardai-vos dos ídolos”(1 Jo 5.18-21). Deus sempre busca pessoas comprometidas, convictas do Seu Reino, dispostas a irem muito mais além dos seus limites pessoais,  comprometidas   em trabalhar, ombrear, guerrear, avançar, conquistar e manter todos os espaços para  o   Seu   Reino e a Sua Justiça. Exercito com um Batalhão de Intercessores e Guerreiros Espirituais, conquistadores de vitórias com alvos, foco, estratégias, armas espirituais próprias e munições espirituais poderosas em Deus para destruir as fortalezas do Diabo e desfazer sofismas e altivez que se levanta contra o Senhor. Em nome do Senhor Jesus Cristo, arvoremos pendões; tendo, assim, satisfeitos os desejos dos nossos corações, em Deus, por Jesus Cristo, na unção do Espírito Santo, e, no Poder da Palavra de Deus.

I) PERFIL DOS ALISTADOS

    1 – Sábios;

    2 – Inteligentes;

    3 – Animados;

    4 – Motivados;

    5 – Experimentados, dentre nós;

    6 – Fiéis;

    7 – Leais;

    8 – Comprometidos;

    9 – Unidos;

    10 – Perseverantes;

    11 – Pontuais;

    12 – Assíduos;

    13 – Santos;

    14 – Coerentes;

    15 – Voltados para o bem;

    16 – Confiáveis;

    17 – Submissos;

    18 – Verdadeiros;

    19 – Temperados e temperantes;

    20 – Confiantes na Liderança e da Liderança.

II) COMPROMISSO E MISSÃO

      1 – Oração e intercessão, com fé, amor, paixão e confiança;

      2 – Pelo pastor geral da Igreja e sua familia;

      3 – Pelos seus pastores auxiliares e familias;

      4 – Pela comunidade, cidade, estado, nação e o planeta;

      5 – Mensalmente, pelas missões e frentes da igreja;

      6 – Em Setembro e Outubro/2014: Missão Parlamentar e Pública da Ieadam;

             a) Autoridades constituidas, familias, assessorias e parceiros;

             b) Nossos Pastores, Missionários e Deputados:

                  (1) Pr.Miss.Dep.Fed.Silas Câmara, familia, assessoria e parceiros;

                  (2) Pr.Miss.Dep.Est.Francisco Souza, familia, assessoria e parceiros;

                  (3) Pr.Miss.Dep.Est.Wanderley Dallas, familia, assessoria e parceiros;

                  (4) Pr.Miss.Mário Bastos, familia, assessoria e parceiros;

             g) Prs.Miss.Vers.Amaury, Roberto, Mitoso, Joelson, familias, assessorias

                  e parceiros;

             h) Secretários: Pr.Cel.Dan; Diac.Dra.Oreni; Ira.Profa.Zaneli; Pra.Profa.Vania

                  Sueli, familias, assessorias e parceiros.

      7 – Nossa Igreja Mãe, e nosso Pastor Samuel, familia, assesoria e parceiros.

III) CALENDÁRIO INICIAL

       1 – Todos os dias, 23 às 24hs, todos orando, ao mesmo tempo, em unidade

              e comunhão;

       2 – Relógio de Oração, rotativo, local, conforme possobilidades de  cada  um;

       3 – Momento semanal com o lider, pastor, para oração, reflexão e conquista;

       4 – Fidelização, e multiplicação em fidelidade;

       5 – Grupos de no mínimo 70 pessoas;

       6 – Um grupo, de no mínimo 70, direto com Pastor Presidente;

       7 – Nas áreas, com o pastor, no mínimo 70, macro célula;

       8 – Multiplicação dos 70, em fidelidade, por mais no mínimo 10;

       9 – ORAÇÃO DIÁRIA de Intercessão e Guerra Espiritual, em concordância,

              no mesmo horário, onde estiver, (23 às 24h);

       10 – JEJUM geral, de 12 horas, onde estiver:21/09/14, domingo(00-12h);

       11 – PALAVRA DE MOTIVAÇÃO, pastor e dirigente, com a igreja:21/09/14,

                após o culto a noite (carta aberta e relatório, conhecimento para

                liberdade e fidelização);

       12 – VIGILIA geral e local, antes das eleicões:03/10/14, sexta para sábado,

                22 às 05h, terminar com uma Santa Ceia de comunhão, direção do

                pastor com os 70 + os múltiplos de 10;

       13 – Unção do material.

IV) MOTIVOS DE ORAÇÃO

       1 – Cobertura espiritual;

       2 – Abertura das mentes e corações;

       3 – Fidelização;

       4 – Quebra de resistências, fortalezas e sofismas;

       5 – Confiança na direção;

       6 – Proteção das familias;

       7 – Abordagens certas;

       8 – Comunhão e unidade;

       9 – Transformação;

       10 – Sermos cabeças e não cauda, por cima e não por baixo, primeiros  não os

                últimos(Dt 28.1-14 c/c. Dt 1.1-15).

V) MULTIPLICADORES

     1 – Geral, Presidente, na primeira semana, 70 intercessores, no mínimo,

            (70 X 10, na segunda semana);

     2 – Áreas,  Pastores das áreas, (318 áreas X 70 guerreiros = 22.260 lideres x 10

            outros = 222.600 pessoas envolvidas, fidelizadas, na segunda semana);

     3 – Sem invalidar a estrategia já existente;

     4 – Para complemento e reforço espiritual.

VI) MOMENTOS DE MOBILIZAÇÃO

       1 – Reunião com coordenadores:

a)Concordarmos sobre a mobilização de Setembro e Outubro;

b) Visibilidade da mobilização: carros, meios de transporte, casas,

Estabelecimentos e outros locais;

c) Cartazes nas casas e proximos das seções;

              d)  Dez profetinhas por dia, até o dia decisivo;

e)Uma Carreata?

f)   Que impacto fazer? O que for necessário.

       2 – Quinta próxima, com todos os pastores das areas, sem falta,

              (os que faltarem, marcar para quinta noite ou sexta pela manhã).

       3 – Quintas próximas, todos, com oração, intercessão, louvor, testemunhos

              e ajustes das estratégias;

       4 – Oração, diáriamente, em concordância: (23 as 24h);

       5 – Jejum: 21/09/14, (00.00 as 12.00h);

       6 – Palavra com a igreja, após o culto: (21/09/14);

       7 –  Vigília, com 70 e múltiplos de 10: (03/10/14);

       7 – Momento com a Juventude da Igreja, com pastores e dirigentes, áreas;

       8 – Outras mobilizações, caso se veja necessário.

VII) TORRE DE ORAÇÃO

        1 – Escala de intercessores;

        2 – Torre de oração;

        3 – Em sentinela;

        4 – Como Ataláias;

        5 – Chama acesa 24h, por um sensor de presença humana;

        6 –  Havendo Intercessores e Guerreiros Espirituais orando: Chama acesa;

               não hvendo, chama externa apagada;

        7 – Altar de oração 24h, por todos os pedidos feitos na RBN, templos e

               células(programas de Rádio e TV mostrando;

        8 – Lema, é: “E o fogo arderá continuamente sobre o altar e nunca se

               apagará”.

CONCLUSÃO-“Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar  e   orar, e buscar a minha face; e se arrepender das suas displicências  e  maus  caminhos; então, eu ouvirei dos Céus, descerei e sararei a sua terra. Agora   os   meus   olhos estarão voltados e os meus ouvidos atentos às orações que  fizerem  neste  lugar” (2 Cr 7.14,15). “Todas estas bençãos virão sobre vocês e vos alcançarão. Benditos series no interior, no campo, na cidade e em todo lugar; benditos  o  fruto  do  teu ventre, o teu cesto e a tua amassadeira; benditos os  teus  campos,  a  criação  das tuas vacas e ovelhas; benditos serás ao entrares e ao saires;  todos  verão  que  és bendito do Senhor, povo  santo;  emprestarás  a  muitos,  porém  tú  não  tomarás emprestado; só estarás por cima e não por baixo; serás cabeça e não cauda; serás o primeiro e não o último. Onde tocares com a tuas mãos,  será  abençoado;  onde pisares, lugar  conquistado.  Somente  lê,  entende,  aplica  aos  teus  caminhos  os meus mandmentos que hoje eu tenho ordenado  para  que  vivas.  Não  faça  nada que agrade ou fortaleça outros deuses. Assim fazendo, agradando-me, quando os teus inimigos vierem contra tí  por  um  caminho,  eu  darei  ordem  e  eles  sairão disparados  e  desesperados  por  sete  caminhos.  Tão  somente  que  observes  a minha lei, meus preceitos e meus estatudos”(Dt 28.1-14).

“E Deus criou o homem e a mulher inteligentes, à sua  imagem  e  semelhança;  os

 uniu, abençoou-os e disse: Crescei e multiplicai-vos, enchei a terra e governai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja sobre a terra. Assim fez Deus e disse, e viu Deus que tudo que havia feito era bom, muito. E, Deus descansou”(Gn 1.24-30).

Esta e a estratégia de fidelização, unidade, motivação e conquista estabelecida  por  Deus, na Sua Palavra, provada no Antigo e Novo Testamentos, e que  deu  certo para o povo de Deus; que não será diferente para nós. Deus nos tem feito povo grande, pujante, visionário, animado, inteligente, unido e abençoado, intercessor, guerreiro e conquistador; de maneira que o menor de nós vem a ser mil, e o maior como as estrelas dos Céus e os grãos de areia das praias. Deus nos quer fortalecer, abençoar e fazer muito, muito, muito e muito mais! Lideres de milhares, de mil, de cem, de cinquenta e de dez; legisladores, juizes e governadores(Dt 1.1-14). É assim que Deus nos quer!

PERSPECTIVAS PROFÉTICAS DO REINO DE DEUS

(Cosmo Visão Cristã:desafios da igreja perante a sociedade na pós Modernidade)

Referências:

(Gênesis 1:24-28)
“E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi.
E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.

E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.
E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.”

(Gênesis 2:15-22)
“E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.
E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente,
Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.
E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.
Havendo, pois, o Senhor Deus formado da terra todo o animal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão, para este ver como lhes chamaria; e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seu nome.
E Adão pôs os nomes a todo o gado, e às aves dos céus, e a todo o animal do campo; mas para o homem não se achava ajudadora idônea.
Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar;
E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.”

(Gênesis 12:1-9)
“Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.
E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção.
E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.
Assim partiu Abrão como o Senhor lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos quando saiu de Harã.
E tomou Abrão a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e todos os bens que haviam adquirido, e as almas que lhe acresceram em Harã; e saíram para irem à terra de Canaã; e chegaram à terra de Canaã.
E passou Abrão por aquela terra até ao lugar de Siquém, até ao carvalho de Moré; e estavam então os cananeus na terra.
E apareceu o Senhor a Abrão, e disse: À tua descendência darei esta terra. E edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera.
E moveu-se dali para a montanha do lado oriental de Betel, e armou a sua tenda, tendo Betel ao ocidente, e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao Senhor, e invocou o nome do Senhor.
Depois caminhou Abrão dali, seguindo ainda para o lado do sul.”

(Deuteronômio 1:8-16)

“Eis que tenho posto esta terra diante de vós; entrai e possuí a terra que o Senhor jurou a vossos pais, Abraão, Isaque e Jacó, que a daria a eles e à sua descendência depois deles.
E no mesmo tempo eu vos falei, dizendo: Eu sozinho não poderei levar-vos.

O Senhor vosso Deus já vos tem multiplicado; e eis que em multidão sois hoje como as estrelas do céu.
O Senhor Deus de vossos pais vos aumente, ainda mil vezes mais do que sois; e vos abençoe, como vos tem falado.
Como suportaria eu sozinho os vossos fardos, e as vossas cargas, e as vossas contendas?
Tomai-vos homens sábios e entendidos, experimentados entre as vossas tribos, para que os ponha por chefes sobre vós.
Então vós me respondestes, e dissestes: Bom é fazer o que tens falado.
Tomei, pois, os chefes de vossas tribos, homens sábios e experimentados, e os tenho posto por cabeças sobre vós, por capitães de milhares, e por capitães de cem, e por capitães de cinqüenta, e por capitães de dez, e por governadores das vossas tribos.
E no mesmo tempo mandei a vossos juízes, dizendo: Ouvi a causa entre vossos irmãos, e julga.”

(Deuteronômio 24:1-14)
“Quando um homem tomar uma mulher e se casar com ela, então será que, se não achar graça em seus olhos, por nela encontrar coisa indecente, far-lhe-á uma carta de repúdio, e lha dará na sua mão, e a despedirá da sua casa.
Se ela, pois, saindo da sua casa, for e se casar com outro homem,
E este também a desprezar, e lhe fizer carta de repúdio, e lha der na sua mão, e a despedir da sua casa, ou se este último homem, que a tomou para si por mulher, vier a morrer,
Então seu primeiro marido, que a despediu, não poderá tornar a tomá-la, para que seja sua mulher, depois que foi contaminada; pois é abominação perante o Senhor; assim não farás pecar a terra que o Senhor teu Deus te dá por herança.
Quando um homem for recém-casado não sairá à guerra, nem se lhe imporá encargo algum; por um ano inteiro ficará livre na sua casa para alegrar a mulher, que tomou.
Não se tomará em penhor ambas as mós, nem a mó de cima nem a de baixo; pois se penhoraria assim a vida.
Quando se achar alguém que tiver furtado um dentre os seus irmãos, dos filhos de Israel, e escravizá-lo, ou vendê-lo, esse ladrão morrerá, e tirarás o mal do meio de ti.
Guarda-te da praga da lepra, e tenhas grande cuidado de fazer conforme a tudo o que te ensinarem os sacerdotes levitas; como lhes tenho ordenado, terás cuidado de o fazer.
Lembra-te do que o Senhor teu Deus fez a Miriã no caminho, quando saíste do Egito.
Quando emprestares alguma coisa ao teu próximo, não entrarás em sua casa, para lhe tirar o penhor.
Fora ficarás; e o homem, a quem emprestaste, te trará fora o penhor.
Porém, se for homem pobre, não te deitarás com o seu penhor.
Em se pondo o sol, sem falta lhe restituirás o penhor; para que durma na sua roupa, e te abençoe; e isto te será justiça diante do Senhor teu Deus.
Não oprimirás o diarista pobre e necessitado de teus irmãos, ou de teus estrangeiros, que está na tua terra e nas tuas portas”.

(Salmos 6:8)

“Apartai-vos de mim todos os que praticais a iniqüidade; porque o Senhor já ouviu a voz do meu pranto.”

 

(Salmos 115:16)

“Os céus são os céus do Senhor; mas a terra a deu aos filhos dos homens.”

(Salmos 68:11)

“O Senhor deu a palavra; grande era o exército dos que anunciavam as boas novas.”

 

 

(Salmos 144:1-10)

“Bendito seja o SENHOR, minha rocha, que ensina as minhas mãos para a peleja e os meus dedos para a guerra;
Benignidade minha e fortaleza minha; alto retiro meu e meu libertador és tu; escudo meu, em quem eu confio, e que me sujeita o meu povo.
Senhor, que é o homem, para que o conheças, e o filho do homem, para que o estimes?
O homem é semelhante à vaidade; os seus dias são como a sombra que passa.
Abaixa, ó Senhor, os teus céus, e desce; toca os montes, e fumegarão.
Vibra os teus raios e dissipa-os; envia as tuas flechas, e desbarata-os.
Estende as tuas mãos desde o alto; livra-me, e arrebata-me das muitas águas e das mãos dos filhos estranhos,
Cuja boca fala vaidade, e a sua mão direita é a destra de falsidade.
A ti, ó Deus, cantarei um cântico novo; com o saltério e instrumento de dez cordas te cantarei louvores;”

(Isaías 40:1-5)

“Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus.
Falai benignamente a Jerusalém, e bradai-lhe que já a sua milícia é acabada, que a sua iniqüidade está expiada e que já recebeu em dobro da mão do Senhor, por todos os seus pecados.
Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus.
Todo o vale será exaltado, e todo o monte e todo o outeiro será abatido; e o que é torcido se endireitará, e o que é áspero se aplainará.
E a glória do Senhor se manifestará, e toda a carne juntamente a verá, pois a boca do Senhor o disse.”

Isaías 52:7
“Quão formosos são, sobre os montes, os pés do que anuncia as boas novas, que faz ouvir a paz, do que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, do que diz a Sião: O teu Deus reina!”

(Efésios 3:14-15)

“Por causa disto me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo,
Do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome.”

(Êxodo 19:5-6)

“Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha.
E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel.”

(Lucas 19:10)

Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.

 

(Mateus 16:13-19)

“E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?
E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.
Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?
E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.
Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;
E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.´

(Apocalipse 11:15-17)

“E o sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: Os reinos do mundo vieram a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre.
E os vinte e quatro anciãos, que estão assentados em seus tronos diante de Deus, prostraram-se sobre seus rostos e adoraram a Deus,
Dizendo: Graças te damos, Senhor Deus Todo-Poderoso, que és, e que eras, e que hás de vir, que tomaste o teu grande poder, e reinaste.”

 

INTRODUÇÃO – Estamos diante de desafios e compromissos que levam ao desenvolvimento de uma Cosmo Visão Cristã, visão plena e integral sobre o Reino de Deus e o que ele significa para nós e a vida social. A Igreja do Senhor Jesus Cristo tem que tomar postura e assumir posição, cumprir o seu papel de buscar, possuir, conquistar, expandir e manter todos os espaços; orientar, comandar, governar, nortear, dominar; e, fazer discípulos, através dos Princípios do Reino Celestial, para que aconteçam transformações na sociedade. Nós, como a Igreja do Senhor Jesus Cristo, somos fortalecidos com o entendimento de que o Reino de Deus, essencialmente, é: Conquista, Governo, Cultura, Discipulado, Transformação e Liberdade (Gn 1.24-28 c/c. MT 28.18-20).

I) A ESSÊNCIA DO REINO DE DEUS

   O Reino de Deus, segundo os princípios divinos da Grande Comissão e o Ide do Senhor Jesus Cristo, essencialmente, é:

   1.   CONQUISTA, que é conquista inicial do retorno a comunhão com Deus, por Jesus Cristo, na vida pessoal, familiar, grupal e social; levando-nos, como a igreja escolhida, nomeada e enviada para a continuação da missão iniciada por Jesus Cristo, continuada por nós na Grande Comissão e Ide do Senhor Jesus Cristo, para a expansão do Reino de Deus aqui, resultando na reconquista da Terra para Deus, por Cristo Jesus, na unção do Espírito Santo, sob a inspiração da Palavra de Deus, nosso trabalho e esforço, como igreja (Sl 24.1-5).

   2. GOVERNO, que é a autoridade para fazer discípulos: Ganhando, Consolidando, Treinando e Enviando vidas para a expansão do Reino de Deus na Terra, e o crescimento da Sua Igreja; para orientar, guiar, dirigir e ser modelo,  a partir de legislações baseadas, inspiradas e estabelecidas sob o Código Jurídico Soberano, a Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus (1Tm 2.15; Hb 4.12).

   2. CULTURA, que é a manifestação do estilo de vida do Céu na terra. Uma contracultura que nasce a partir da convivência com os princípios estabelecidos em forma de decretos, leis, estatutos, regramentos e preceitos baseados na Magna Constituição, a Bíblia Sagrada, a Palavra  de  Deus  (Mt 6.9-14; 28.18-20).

   3. DISCIPULADO, que é o cumprimento da Grande Comissão e o Ide do Senhor Jesus Cristo, de ”Ir por todo o mundo, pregar o Evangelho a toda criatura e fazer discípulos de todas as Nações; batizando-as(…)”; levando-se em consideração que “O Reino de Deus não consiste em comida ou bebida, mas, em Justiça, Paz e Alegria no Espírito” (Mc 16.15-20).

   5. TRANSFORMAÇÃO, que é o processo de renovação do entendimento que produz mudanças de hábitos, práticas, comportamentos, relacionamentos, honra, caráter e cultura; numa transformação e conformação com a forma de Deus, no Seu propósito original para o ser humano como indivíduo e, por conseguinte, nos grupos sociais e suas relações para com Deus e os semelhantes, bem como toda a natureza, para que se experimente qual seja a ”boa, perfeita e agradável vontade de Deus” (Rm 12.1-9). Expandindo assim o Reino de Deus e dos Céus na Terra, que começado por Jesus, continuado pela Igreja e consumado com o Reino Milenial do Senhor Jesus Cristo na Terra, traz tempo de “Justiça, paz e alegria no Espírito” (MT 6.9-14; Ap 20.1-6; caps. 4 e 5). 

   4. LIBERDADE, que é o conhecimento da verdade que produz libertação, liberdade, harmonia, equilíbrio, respeito, aproximação, comunhão, “caridade, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e temperança”, produzindo mudanças e transformação do ser humano, da família, dos grupos sociais e, naturalmente, da cidade, do estado, da nação e do planeta; posto que, assim diz a Palavra de Deus: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Jesus é a verdade que liberta”, (Jo 8.32,34).

II) ESTRATÉGIAS PARA ESTABELECIMENTO E EXPANSÃO  DO REINO DE   DEUS, CRESCIMENTO E AUTORIDADE DA IGREJA DO SENHOR JESUS CRISTO NA TERRA

         Que acontece pela ampliação da sua jurisdição espiritual, administrativa e material, através das pessoas, das células, dos pontos de pregação, dos templos, das redes, das etnias, dos grupos sociais e, enfim, do povo, das gentes e pessoas a cada dia mais,por que é o que Deus planejou e quer. O raio de ação da igreja está crescendo e provocando, assim, influências maiores em todos os seguimentos e esferas sociais; promovendo mudanças significativas para a transformação social, cultural, administrativa e espiritual da sociedade. Eis a razão por que a Igreja de Cristo atuante, ativa, impoluta e participativa, muito embora não seja perfeita, é atacada, oprimida e perseguida por forças que a querem discriminar, diminuir, excluir e eliminar, desprezando a capacidade e nobreza da missão da Igreja de Cristo na Terra. É extremamente importante, urgente, indispensável e necessário refletirmos muito bem, de forma responsável, inteligente, racional e atentamente, com o “Espírito de sabedoria, de entendimento, de conselho, de fortaleza, de conhecimento e de temor do Senhor” (Is 11.1-4), sobre os sete pontos, bases ou montes principais sobre os quais a sociedade está alicerçada, construída e sustentada, atuando como diretrizes básicas para sua transformação. Foi iniciado pelo Senhor Jesus Cristo, com sua primeira vinda, em vida, paixão, morte, ressurreição e ascensão gloriosa aos Céus; deixando a continuidade com a Sua Igreja; e, claro, sim, que somente acontecerá, de forma plena, no Reino Milenial de Cristo, O Justo. No tempo presente, através da igreja, na qual está o Reino  de  Deus,  em  cumprimento  ao Ide e a Grande Comissão de Jesus, para transformação do ser humano, como individuo,  resultando,  naturalmente,  na  transformação  da   humanidade   e   da sociedade (Mt 28.18-20;Mc 16.15-20; Rm 12.1-3).

     1. TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. É o processo coletivo de transformação da sociedade que, entretanto, começa pela pessoa, pelo indivíduo. Transformação pessoal, familiar, social e coletiva (Rm 12.1-12).

     2. COSMO VISÃO CRISTÃ E BÍBLICA. São as lentes, os filtros e os critérios que utilizamos para a interpretação da realidade moldando o que cremos, afetando o como vivemos, pela regência dos nossos comportamentos e relacionamentos. Cosmo visão é, portanto, um conjunto de pressuposições (verdadeiras, parcialmente verdadeiras ou inteiramente falsas), que as pessoas sustentam consciente ou inconscientemente sobre a formação básica do mundo. Nossa cosmo visão, a cosmo visão cristã e bíblica, vem renovar nossa mente, revisando as velhas estruturas, proporcionando à igreja o despertar com  avivamento  de  santidade, pureza, compromisso, evangelização e missões que revoluciona nossas ações para a expansão do Reino de Deus, o crescimento da Igreja e o alcance  da  terra  para  Deus,  por  Jesus  Cristo,  na  missão  da  Igreja (Jo 4.1-32).

    3. EDUCAÇÃO E DISCIPULAMENTO DA NOSSA E DA NOVA GERAÇÃO.  É o esforço e compromisso da nossa geração e o encorajamento das próximas gerações a estudarem e serem profissionais direcionados a um dos Sete Montes, pilares e bases de formação da sociedade. É imperativo  que as escolas bíblias dominicais, de líderes, de ministérios, escolas e faculdades cristãs desenvolvam currículos baseados nos Princípios do Reino e da Palavra de Deus, com educação que produza transformação, libertação e liberdade; isto é, dos Sete Montes. Seguramente que, o maior desafio da Igreja do Senhor Jesus Cristo é  que os seus membros orem, vivam a Palavra de Deus e santifiquem-se; mas, que, também, estudem, qualifiquem-se, profissionalizem-se, sejam treinados e competitivos para exercerem suas missões em todos os lugares, como sal da terra, luz do mundo, estrelas e astros de Deus neste mundo. É a chamada “Janela 8×8”, no dia a dia, no trabalho, na escola, na faculdade, na vida comum, para ser e viver o Evangelho de Cristo, operar e desenvolver a sua salvação, através do fazer evangelização e missões, buscando os perdidos onde eles e nós vivemos no nosso dia a dia (Mt 28.18-20; Mc 16.15-20; At 1.8).

     4. SERVIÇOS À COMUNIDADE. Nós, indistintamente, como Igreja de Cristo, precisamos voltar os nossos olhos, conforme (João 4), para as necessidades sociais e espirituais existentes, baseadas nos Sete Montes, estendendo ajuda não somente no espiritual como também no social. Os Sete Montes são campos missionários e evangelísticos que devemos de modo inteligente, racional, estratégico e ungido, alvejar. Se é obreiro principalmente neles.

           Campos missionários são urbanos, suburbanos, rurais, interioranos, trans culturais, nacionais e internacionais. Precisamos primeiro cobrir nossa Jerusalém, ao que chamamos de “Janelas 8 x 8”, contatos do dia a dia; Samaría, nosso estado; Judéia, nossa nação; e, finalmente, os Confins da Terra, todas as demais nações, povos e etnias (At 1.8; Ap Caps. 4 e 5).

     5. FORMAÇÃO DE REDES DE AÇÕES. São redes de ações da igreja nos distintos seguimentos da sociedade, operando com estratégias proféticas, evangelísticas, sociais e espirituais no estabelecimento da Cultura do Reino de Deus. Como exemplo, são: as células, os templos, as mídias gerais, as redes sociais, mutirões de faxinas públicas, palestras educativas, ações sociais, bazares, escolas, faculdades, cursos técnicos, serviços, ocupações de lugares públicos e poderes, orações nos logradouros, caminhadas pelas ruas, etc, etc, etc. Faxinas de limpeza espiritual da comunidade local, desfazendo as obras do inferna nos cantos da comunidade (Dt 1.1-15; 28.1-14; Mt 10.1-29; Lc 10, no exemplo do Bom Samaritano).

    6. CONGRESSOS, CONFERÊNCIAS, SIMPÓSIOS e SEMINÁRIOS. É necessário transmitirmos a visão do Reino de Deus baseada no princípio de missão cristã nos Sete Montes de sustentação da formação social. Assim como, treinarmos as pessoas e nossos membros, a identificação dos seus chamados de Deus, com propósito de converterem-se em agentes transformadores das pessoas, grupos sociais, cultura social, como propulsores do Reino de Deus    (MT 5.1-16; Jo 15.1-15).

    7. ORAÇÃO, CLAMOR, INTERCESSÃO, MAPEAMENTO e GUERRA ESPIRITUAL. Todo o nosso esforço de intercessão, mapeamento e guerra espiritual deve estar alinhado com cada um dos Sete Montes, gerando estratégias inteligentes e meios de penetração e a destruição das fortalezas estabelecidas pelos principados do mal. Não podemos guerrear contra nós mesmos; pois não somos inimigos nem concorrentes; somos, sim, amigos, irmãos, co-servos em Cristo e cooperadores na missão, obra, guerra espiritual e Reino de Deus. Temos um inimigo comum, e contra ele é que devemos lutar, juntos; esse inimigo é Satanás, o imundo, sujo, covarde, cruel, traiçoeiro, prejudicial, mal, maldoso, mentiroso, divisor, rebelde, orgulhoso, avarento, egoísta, briguento, acusador, vingativo, destruidor, covarde, caído, medroso, saliente, ingrato e caído. Devemos deixar de lado as todas as divergências e, unidos, utilizar as diferenças para convergir, agir, promover o engrandecimento do Reino de Deus e a destruição dos sofismas, das fortalezas e de toda altivez que se levanta contra o conhecimento do nosso Deus e bem estar do ser humano (2 Co 10.1-5).

III) O SENHORIO DE JESUS CRISTO EM TODAS AS ÁREAS  DA  SOCIEDADE

     Não devemos reduzir o Evangelho de Cristo apenas à salvação, para não reduzirmos a revelação de Deus apenas a um salvador. Ele é o nosso Salvador, mas, de fato, Ele é: O Rei  dos  Reis;  Senhor  do  Senhores;  Senhor  da  Justiça;

Jeová JIREH; Senhor da Economia; Príncipe da Paz; Senhor da Família; Criador de tudo; Senhor da Ciência e da Tecnologia; Palavra viva; Senhor da Comunicação; Oleiro; Senhor das Artes e da Beleza; Grande Mestre; Senhor do Governo. O Primeiro e Derradeiro; Principio e Fim; Alfa e Ômega; O que abre a porta e ninguém fecha, fecha e ninguém abre; A Resplandecente Estrela de Davi; O que morreu, sim, mas ressuscitou, e está Vivo; O que tem N’Ele mesmo  a Imortalidade; O que o Pai reuniu n’Ele todas as coisas, tanto as que estão no Céu como as que estão na terra; O que É, que Era e há de vir; O que tem os Sete Espíritos diante do Seu trono; O que é a Fiel Testemunha; O Primogênito dos mortos; O Príncipe dos Reis da Terra; Aquele que nos ama e com o Seu sangue nos libertou dos nossos pecados; que nos fez Reinos e Sacerdotes para Deus Seu Pai; Aquele a quem pertence a Glória e o Domínio pelos séculos dos séculos; O Amem! Aquele que vem com as nuvens e todo olho O verá, até mesmo aqueles que o traspassaram, e todas as tribos da terra se lamentarão sobre Ele; O Sim e o Amem; O Alfa e o Ômega; o Senhor Deus; Aquele que É, e que Era e que Há de vir; O todo poderoso; O que fala conosco; O Semelhante ao Filho do homem, que se veste de roupa talar, cinge-se a altura do peito com um cinto de ouro, tem cabeça e cabelos brancos, como a lã branca, como a neve, tem os olhos como chamas de fogo, e os pés como latão reluzentes, refinados numa fornalha; e  a sua voz como a de muitas águas; O que tem na Sua destra as sete Estrelas, e da Sua boca sai uma aguda espada de dois gumes, e o Seu rosto é como o sol, quando resplandece na sua força; o que quando O vemos, caímos aos Seus pés como mortos; O que põe sobre nós a Sua destra; O que diz: não temas, porque eu sou O primeiro e O último, eu sou O que vive para todo o sempre, e tenho as chaves da morte e do inferno; que fecho as portas e ninguém abre, e abro e ninguém fecha! Eu sou O que tenho as estrelas nas minhas mãos, e passeio pelo meio dos castiçais, (AP 1.1-20). O que esquadrinha os rins e o coração; O que dá ao que vencer, autoridade sobre as nações; O que recebeu autoridade do Pai, e vos dou a estrela da manhã; O que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas;  O que virá como o ladrão, a qualquer hora; O que fará aos que são dignos, que andem com Ele vestidos de branco; O que vos vestirá de branco, manterá vossos nomes no livro da vida e confessará os nomes dos não contaminados diante de Deus e dos anjos; O que e santo, digno e verdadeiro; O que tem a chave de Davi; O que vos faz vencedores, colunas no templo de Deus, donde jamais sairão, e escreverá sobre vós o nome do vosso Deus, e o nome da cidade do vosso Deus, e também o vosso novo nome; O amém; A fiel e verdadeira testemunha; O principio da criação de Deus; O que vos concede ouro refinado para riqueza, vestes brancas para vestirdes, colírio para unção dos olhos e vejam; O que vos faz zelosos e arrependidos; O que bate e abre as portas e ceia convosco e vós com ele; o que vos faz vencedores para assentar-vos com Ele no trono. O que vive para sempre, que foi morto e reviveu para abrir o livro e desatar os seus selos(AP 2.1-6.12). O que é Fiel e Verdadeiro e julga com justiça; O que somente Ele virá para Reinar montado no cavalo branco, e tem nas suas vestes e na sua coxa escrito: Rei dos Reis e Senhor dos Senhores (Ap 19.11-16;16).

VERDADE – Usamos sempre esses nomes e muitas vezes adoramos suas metáforas, mas não entendemos o real e verdadeiro significado do Senhorio de Cristo em cada uma das áreas de formação social, conseqüentemente são  a serem alcançadas, transformadas e, portanto, áreas de vocação espiritual por chamamento divino.

IV) ÁREAS SOCIAIS, BÍBLICAS E ESCATOLÓGICAS DO SENHORIO DE CRISTO

     Em Apocalipse (5.12) temos uma das mais lindas, profunda e significativa passagem das Escrituras Sagradas que ilustra a adoração plena ao Cordeiro de Deus, através das sete áreas específicas consideradas como as Sete Bases, Pilares ou, como vemos, os “Sete Montes” sobre os quais a sociedade está alicerçada.

 “(…) que, com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber,”:

      1. O PODER – (governos, poderes, administração, domínio público e privado);

      2. E, RIQUEZA – (Bens,  economias,  finanças,  negócios,  empreendimentos,

                                   vantagens, lucros e investimentos);

      3. E, SABEDORIA – (Educação,  ciência,  cultura,  informação,  formação,   fé,

                                        adestramento e discipulado);

      4. E, FORÇA – (Família, parentela, dignidade, moral,  ética,  honra,  santidade

                                e fidelidade).

      5. E, HONRA — (Mídias,  comunicação,  tecnologia,  informação  e  formação).

      6. E, GLÓRIA – (Artes, entretenimentos,  esporte,  reconhecimento,  distinção,

                                 alegria, vibração,  sucesso,  aplausos,  fama  e  notoriedade).

       7. E, AÇÕES DE GRAÇA – (Igreja, religião, evangelização, missões, preparo,

                                                     envio, louvor, adoração, cântico, culto, trabalho).

CONCLUSÃO – Estamos no tempo de refletirmos mais sobre o Senhorio de Cristo. É claro que de forma Plena, durante o Milênio, o Reino Milenial de Cristo. Mas, neste tempo, através da Sua Igreja na Terra! Ele a deixou responsável por implantar, expandir, viver e promover o Seu Reino na Terra, em todas as áreas da sociedade. Nosso compromisso e responsabilidade é, portanto, fazer missões em todas as áreas , montes e graus da sociedade. Sejamos agentes de transformação deste mundo que clama em desespero. Jesus Cristo, por Seu Evangelho, através da Igreja, é a esperança para os desesperados, (JO 4).

Deixe seu comentário